sábado, 21 de outubro de 2017

VIA GÊNICA




Regulando o metabolismo temos
As genéticas historias transmitidas de pais para filhos,
Pode ser saúde em virtudes ou triste herança
Em doenças que até já se apresentam na infância.

O RNA mensageiro copia informação do DNA
Determinando o transporte das bases nitrogenadas
Onde nos Ribossomos produzirão aminoácidos que
Criarão de forma divina as fundamentais proteínas.



RNA transportador em receitas sagradas
Formulas encantadas que com quatro letras A e T, C e G
Revezam-se ativando e desativando enzimas
Formadas pelas providenciais proteínas.

Proteínas são operários formando diversas estruturas
Como tendões ou pelos e também podem perceber luz e sabores,
Controlam reações químicas, levando mensagens entre células
Em processos quase infinitos dentro do DNA escritos.

Responsáveis pelas lágrimas, pelo salivar
E por vários processos de regulação celular,
Transporte ativo e passivo de hormônios  sal e açúcar,
Verdadeira usina química trabalhando da sola dos pés à nuca.





Orquestra em harmonia,
Mente e corpo em simetria,
Genes identidade molecular,  três bilhões de letras
Genéticas receitas que diferenciam cada ser.

Divinos códigos escritos
Em cada célula pelo universo,
Poesia de muitos versos
Em seres unicelulares ou complexos.





Entender o divino e destinos,
Aceitando-se em cada um diferentes cores e graças
Que definidas nos cromossomos e na infinitude nos une e abraça,
Semelhanças de vidas em múltiplas raças.

Via gênica,
Ponte entre antigas e novas histórias,
Linda e corpóreas vitórias,
Permitindo-nos sagas e muitas glórias.








--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


VIA GENE



Regulating the metabolism we have
Genetics stories transmitted from parents to children,
May be in health virtues or sad inheritance
In diseases that are already present in childhood.

The messenger RNA copies DNA information
Determining the transport of nitrogen bases
Where the Ribosomes produce amino acids that
will create in a divine form, the protein core.

RNA transport in sacred recipes
Enchanted Formulas that with four letters A and T, C and G
Take turns, activating and deactivating enzymes
Formed by the providential proteins.



Proteins are workers forming several structures
As tendons or fur and can also perceive light and tastes,
Control chemical reactions, carrying messages between cells
In almost infinite processes within the written DNA.

Responsible for the tears, and salivate
And by various processes of cellular regulation,
Active and passive transport of salt and sugar, hormones
Real chemical plant working of the soles of the feet to the head.




Orchestra in harmony,
Mind and body in symmetry,
Molecular identity Genes, three billion letters
Genetic, recipes that are each being.

Divine code written
In each cell by the universe,
Poetry of many verses
In unicellular beings or complex.



Understand the divine and destinations,
Accepting in each different colors and grace.
That defined in the chromosomes and infinitude, unites us and embraces,
Similarities of life in multiple races.

Via gene
Bridge between old and new stories,
Beautiful and tangible victories,
Allowing us to destinations and many glories.



terça-feira, 10 de outubro de 2017







MENOPAUSA

No branco dos meus cabelos
Revejo historias,
Batalhas combatidas,
Vitórias.




Meus seios
Que agora apontam
Para a terra
Amamentaram o mundo.

Nas rugas do meu corpo
Percorro ruas
De sentimentos
Bebidos em brandos goles.



E mesmo me carregando
Para a transcendência
O passar dos dias
Já não me perturba mais.

Aprendi há respeitar o tempo
Dos acontecimentos e das horas,
Que também me ensinou
A reverenciá-lo.



Tenho plena serenidade
No olhar de sabia calma,
Que muito viu,
E permitiu-se ser vista.



Olhares que me viram
E mudaram seu foco,
Enquanto o tempo mudava
Minha existência.

Pauso em reflexões,
Pauso em saudade,
Pauso em força,
Pauso em espiritualidade.

 E em meio a tantas pausas,
Pausas silenciosas,
Que também são musica,
A menopausa.

Envelhecer...
Maior Pausa, que também
É vida de quem mereceu tê-la,
Degustá-la e desfrutá-la. 

Dionisíaco verão
De climatérios vulcânicos,
Solares,
Atômicos.

Mas uma vez
Sentir-se criança,
Mas apenas desta vez,
Nas inseguranças.




E agora no passado
Vislumbrar  o futuro
De doces lembranças e
Viver intensamente o presente.

E a vida liquida e carmim
Não mais menstrua em ação,
Seca sensação,
De plenitude... Finalização.

E diante do temor
Não mais do escuro,
Agora resta
O da infinitude.




Que me sorri e abraça
Qual amoroso
E dedicado pai
Ninando-me com ternura. 





MENOPAUSE 

In the white of my hair
I review stories,
Battles fought,
Victories.

My breasts
Which is now pointing to the Earth
Breastfed the world.

In the wrinkles of my body
I walk the streets
Of feelings
Drunk in soft drinks.

And even carrying me To Transcendence
The days passed
It doesn't bother me anymore.

I learned to respect the time
Of events and of the hours,
and It also taught me to revere him. 

I have complete serenity
A wise and calm look,
thats it has seen a lot
And allowed himself to be seen..

Looks that saw me
And changed its focus,
while the time changed My existence

Pause in reflections,
Pause in longing,
Pause in strength,
Pause in spirituality.


And in the midst of so many breaks,
Silent pauses,
That are also music,
Menopause.

Grow Old ...
Greater pause, which also
Is life who deserved to have her,
taste and enjoy it.

Dionysian summer
Of volcanic physiological changes
Solar,
Atomic.

Once again
Feel like a child,
But only this time,
in the insecurities.

And now in the past
Envision the future
Of sweet memories and
Live intensely in the present.

And life settles and Carmine
No longer menstruate in action,
Dry feeling,
Of fullness ... Finalization.

And in the face of fear
No more of the dark,
Now there's the fear of infinity.

She smiles at me and hugs me
What loving and devoted father
nursery me tenderly.



sábado, 9 de novembro de 2013

PAELLA      
                 
                                                   
 


Para ela
Selecionei os mariscos e
Poesias eternamente rabisco.

Para ella
pescados y mariscos seleccionados y
Eternamente poesía garabatos.


 
Pesquei o Martim mais tenro e resistente,
Mergulhei fundo nos meus sentimentos,
Submergi na busca da lagosta mais fresca.

Martin pescado el más tierno y fresco,
Mergulle profundamente en mis sentimientos,
Sumergi en busca de la langosta mas grande.



  
Selecionei as melhores lulas,
E as melhores palavras,
E na Imensidão de mar vejo teu rosto como o sol a brilhar.

He seleccionado los mejores calamares,
Y las mejores palabras,
Y la inmensidad del mar que veo en tu rostro como el sol a brillar.





Camarões rosados e graúdos,
Enquanto eu em alto mar estou rosado de saudade,
Separo os mexilhões enquanto o querer de você remexe meu coração.

Gambas rosadas y grandes,
Enquanto estoy en alto mar, siento una grande nostalgia que me Deja color de rosa,
Separo los mejillones, mientras que tu querer remueve mi corazón.



Enquanto o polvo abraça minhas mãos com seus tentáculos,
Abraço-me as lembranças de ti,
Abraço-te sobre o azulado do mar, a muito querer de te volto meu olhar.

Mientras el pulpo abraza mis manos con sus tentáculos,
Abrazo tus recuerdos,
Te abrazo en el  azulado mar,  en mi gran querer vuelvo mi mirada hacia ti.






Alho, salsinha, cebolas e pimentões coloridos,
Divinamente escolhidos, juntos ao arroz cozidos,
Acrescidos dos frutos do mar escolhidos.

Ajo, perejil, cebolla y  pimientos coloridos,
Divinamente elegidos, juntos con el arroz cocido
Acrescentados los frutos del mar escogidos.






E a todas as dádivas que a te trago do oceano,
Fumegando acrescento açafrão, reluzente como ouro,
Pois em você tenho meu tesouro.
Y todos los regalos que te traigo del océano,
Cocinando acrecento azafrán, reluciente como oro,
 
Porque te tengo como mi tesoro.



E em teu sorriso tenho divinas revelações,
Vargem, vagina e ervilha, tu és minha armadilha,
Único laço que me impede de nas ondas e correntes não seguir em frente.

Y tu sonrisa trae revelaciones divinas,
Vagem, vagina y ervilla , tu eres mi armadilla
Único lazo que me impide de las olas y de la corriente no seguir em Frente.






É você que me traz de volta ao continente, contente,
Cozinho para tí sorridente, perfumo tudo com azeite,
Prato único, divina aquarela... Paella.

 
Eres tu que me trae de vuelta al continente, feliz,
 
Cocino sonrriente, perfumo todo con aceite,
 
Plato unico, divina aquarela ... Paella.