sábado, 9 de novembro de 2013

PAELLA      
                 
                                                   
 


Para ela
Selecionei os mariscos e
Poesias eternamente rabisco.

Para ella
pescados y mariscos seleccionados y
Eternamente poesía garabatos.


 
Pesquei o Martim mais tenro e resistente,
Mergulhei fundo nos meus sentimentos,
Submergi na busca da lagosta mais fresca.

Martin pescado el más tierno y fresco,
Mergulle profundamente en mis sentimientos,
Sumergi en busca de la langosta mas grande.



  
Selecionei as melhores lulas,
E as melhores palavras,
E na Imensidão de mar vejo teu rosto como o sol a brilhar.

He seleccionado los mejores calamares,
Y las mejores palabras,
Y la inmensidad del mar que veo en tu rostro como el sol a brillar.





Camarões rosados e graúdos,
Enquanto eu em alto mar estou rosado de saudade,
Separo os mexilhões enquanto o querer de você remexe meu coração.

Gambas rosadas y grandes,
Enquanto estoy en alto mar, siento una grande nostalgia que me Deja color de rosa,
Separo los mejillones, mientras que tu querer remueve mi corazón.



Enquanto o polvo abraça minhas mãos com seus tentáculos,
Abraço-me as lembranças de ti,
Abraço-te sobre o azulado do mar, a muito querer de te volto meu olhar.

Mientras el pulpo abraza mis manos con sus tentáculos,
Abrazo tus recuerdos,
Te abrazo en el  azulado mar,  en mi gran querer vuelvo mi mirada hacia ti.






Alho, salsinha, cebolas e pimentões coloridos,
Divinamente escolhidos, juntos ao arroz cozidos,
Acrescidos dos frutos do mar escolhidos.

Ajo, perejil, cebolla y  pimientos coloridos,
Divinamente elegidos, juntos con el arroz cocido
Acrescentados los frutos del mar escogidos.






E a todas as dádivas que a te trago do oceano,
Fumegando acrescento açafrão, reluzente como ouro,
Pois em você tenho meu tesouro.
Y todos los regalos que te traigo del océano,
Cocinando acrecento azafrán, reluciente como oro,
 
Porque te tengo como mi tesoro.



E em teu sorriso tenho divinas revelações,
Vargem, vagina e ervilha, tu és minha armadilha,
Único laço que me impede de nas ondas e correntes não seguir em frente.

Y tu sonrisa trae revelaciones divinas,
Vagem, vagina y ervilla , tu eres mi armadilla
Único lazo que me impide de las olas y de la corriente no seguir em Frente.






É você que me traz de volta ao continente, contente,
Cozinho para tí sorridente, perfumo tudo com azeite,
Prato único, divina aquarela... Paella.

 
Eres tu que me trae de vuelta al continente, feliz,
 
Cocino sonrriente, perfumo todo con aceite,
 
Plato unico, divina aquarela ... Paella.



4 comentários:

  1. Boa tarde poeta do trompete... da gastronomia ...seus versos são pura iguaria....Delícia pura!
    Que posso falar? Tanta beleza e gostosura em um só poema?
    Aplausos querido.
    Queria provar um pouco desta PAELLA DIVINA!!!
    PAZ E LUZ, SEMPRE!!!

    ResponderExcluir
  2. Esse marzão de Salvador é realmente inspirador; traz gastronomia e poesia!
    Abraço!

    ResponderExcluir