sábado, 7 de agosto de 2010

DEUS E DEUSA


E Deus a encontrou


Era linda e com um sorriso divino,


Sua voz aveludada


Era o verbo do amor em ação.






De frente um para o outro


Deus e Deusa,


Olhos nos olhos,


Encantamento no ar.






Agora o paraíso


Parecia mais divino ainda,


E o brilho azulado das estrelas


Piscavam com mais intensidade.






Assim não resistiram


E diante da linda sinfonia do universo


Dançaram...


Sobre galáxias.






No encontro dos seus sagrados corpos


Sentiram celestes arrepios,


Arrebatando-os além do sétimo céu,


E dela ele retirou os véus.






Com muitos mimos e carinhos Deus


A fez sentir-se a mais feliz das Deusas,


Que se entregou em meio a juras


De adorá-lo e amá-lo pelo infinito.






Ofegante ele a foi possuindo cada vez mais,


Em meio a tempestades cósmicas


Que moviam sistemas solares


E despertavam buracos negros.






Assim Logos vigorosamente


Penetrou Gaia, e em translação frenética


Prendeu-se a ela em


Rotação magnética.






Assim em gozo supremo o Criador


Ejaculou novas galáxias,


Em big bang viril e apocalíptico


Expandiram toda a matéria... Verdade etérea.




5 comentários:

  1. O Poeta descreve a magia infinita do amor e do ardente desejo que aproxima dois seres. Nessa entrega o ápice é a união com a naturalidade de agir e sentir o outro na infinitude do querer que é muito sagrado. Divinamente escrito! Adoro ler-te! ;)

    ResponderExcluir
  2. Bom dia! Expressiva e sensorial gênese. Bj poesia

    ResponderExcluir
  3. Linda poesia, a sua cara.

    Abs,
    Allan

    ResponderExcluir
  4. Andriz,vim te visitar e adorei os versos;o poeta do amor e da beleza ,das piesias encantadoras,tem q/ ser admirado.
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Convite para 5ª no Terrasse.Ligue pr mim.Confraternização. bjks

    ResponderExcluir